• Português

06.11.2017 - Nota de pesar pelo falecimento da médica Fátima Oliveira


Nota de pesar pelo falecimento da médica Fátima Oliveira/

Fátima Oliveira, médica e pesquisadora de bioética, gênero e raça

 

É com tristeza que a ONU Mulheres recebeu a notícia sobre o falecimento da médica Fátima Olíveira. Árdua defensora do Sistema Único de Saúde (SUS), pesquisadora da saúde da mulher, da população negra e defensora incansável dos direitos sexuais e direitos reprodutivos, Fátima Oliveira construiu um legado feminista valoroso, articulando as questões de gênero e raça. Trabalhou com a ONU no processo preparatório da 3ª Conferência Mundial contra o Racismo, a Discriminação Racial e Intolerâncias Correlatas (Durban, 2001), na elaboração da Política Nacional de Saúde Integral da População Negra e na articulação de mulheres negras para a Conferência Mundial de População e Desenvolvimento no Cairo (1994).

Foi um dos principais nomes a se posicionar contra o racismo na saúde, destacando as mortes evitáveis de negras e negros e a falta de capacidade instalada nos serviços de saúde como um das expressões da discriminação racial. Foi uma das principais vozes no País pela legalização do aborto e pelo atendimento adequado as mulheres na saúde pública, denunciando, inclusive, a esterilização de mulheres negras. Integrou diversos comitês e grupos de trabalho na área da saúde, foi pesquisadora de bioética com diversas obras produzidas e secretária-executiva da Rede Feminista de Saúde, Direitos Sexuais e Direitos Reprodutivos.

Como articulista, Fátima Oliveira manifestou suas opiniões contra o racismo, em favor dos direitos das mulheres e questões políticas com regularidade impressionante na imprensa, dando vazão à potência do seu pensamento crítico.

Manifestamos nosso pesar e sentimento de solidariedade a familiares, amigas e amigos de Fátima Oliveira, uma feminista negra inesquecível.

Nadine Gasman
Representante da ONU Mulheres Brasil