• Português

Carnaval 2015

CAMPANHA DE COMUNICAÇÃO 

No clima da diversão carnavalesca e da paquera, a campanha “Neste carnaval, perca a vergonha, mas não perca o respeito” foi promovida pelas Nações Unidas e parceiros, no período de 9 a 28 de fevereiro de 2015, para chamar a atenção de foliãs e foliões sobre a importância de manter a festa livre de assédio e violência. Ao slogan principal, somam-se os comandos “Neste carnaval, perca a vergonha. Denuncie. Ligue 180” e “Neste carnaval, perca a vergonha. Proteja-se. Use camisinha”.

Carnaval 2015/

Liderada pela ONU Mulheres no marco da campanha global Pequim+20 “Empoderar Mulheres. Empoderar a Humanidade. Imagine!” sobre os 20 anos da Plataforma de Ação de Pequim, a mobilização foi realizada em parceria com o PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento), a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura), o ACNUR (Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados), o UNAIDS (Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS) e a OPAS/OMS (Organização Pan-americana de Saúde e Organização Mundial de Saúde). Contou ainda com o apoio institucional das Secretarias de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR) e do Município do Rio de Janeiro (SPM-Rio).

 

 

 

 

Carnaval 2015/Criação pro bono da agência de publicidade Propeg Comunicação SA e seus parceiros, a campanha atuou sobre situações concretas do comportamento da sociedade brasileira, voltando-se a mulheres e homens jovens e adultos que vivenciam o carnaval de rua. Segundo a pesquisa do Instituto Avon/Data Popular, realizada em dezembro de 2014, 96% da juventude considera que existe machismo no Brasil, 53% das mulheres jovens e 49% dos homens jovens aprovam valores machistas e 78% delas já foram assediadas em locais públicos. Além disso, uma outra pesquisa conduzida pelo Ministério da Saúde e divulgada em janeiro de 2015, revela que 45% da população não usa camisinha nas relações sexuais.

 

 

 

Carnaval 2015/

Acesse os links ao lado para assistir aos vídeos ou visite o canal do youtube da ONU Mulheres Brasil

 

Vídeos animadosCom o mote “Chega melhor, quem chega direito”, o fluxograma da paquera traçou os caminhos do relacionamento entre mulheres e homens, com cantadas sugestivas e dicas para eles sobre como quebrar o gelo com a gata. No fluxograma, também foram indicadas as recusas das mulheres e esses sinais devem ser respeitados pelos homens sem uso de práticas agressivas. É o “bloco que segue”, fim da paquera sem investidas agressivas. No desfecho positivo, o amor de carnaval prevalece com a mensagem “Neste carnaval, perca a vergonha, mas não perca o respeito”.

A outra versão da animação “Ter pegada não é faltar com respeito” voltou-se ao homem para ele que compreenda os limites da paquera, enquanto para a mulher incentiva o reconhecimento da abordagem agressiva, constrangimento ou violência e orientação para a denúncia por meio do Ligue 180, da SPM-PR, e do comando “Neste carnaval, perca a vergonha. Denuncie. Ligue 180”. Na saída positiva, é estimulado o uso do preservativo na mensagem “Neste carnaval, perca a vergonha. Proteja-se. Use camisinha”.

 

Carnaval 2015/

Fluxograma traça os limites da paquera e faz alerta para evitar abordagens agressivas
Arte: Propeg Comunicação SA

 

Paquera sem agressividade - Do fluxograma da paquera derivaram filme para internet e mídia televisiva gratuita, ventarolas para distribuição em blocos do Rio de Janeiro e cartazes para cerca de 5.000 ônibus da frota carioca de ônibus. Em Salvador, foliãs e foliões do bloco Os Mascarados assistirão ao filme “Ter pegada não é faltar com respeito”.

Na internet, essas peças foram compartilhadas nas redes sociais e tiveram missões especiais pro bono do Instamission, Instagram do Bem. Teve exposição nacional por meio da veiculação de filme animado na TV Globo, com programação de grade nacional, e pela internet. Atuou fisicamente em 25 municípios, sendo 16 capitais: Rio de Janeiro, Salvador, São Paulo, Brasília, Belo Horizonte, Curitiba, Florianópolis, João Pessoa, Recife, Natal, Vitória, Goiânia, Maceió, Porto Alegre, São Luis, Fortaleza, Sorocaba, Campinas, Jundiaí, Indaiatuba, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Valinhos, Campos dos Goytacazes e Macaé por meio de veiculações em TVs de circuitos de metrô, ônibus, prédios comerciais, shoppings centers e supermercados.

 

ANO DAS MULHERES DA MANGUEIRA

Carnaval 2015/

Em parceria com a Mangueira, ONU Mulheres promoveu ações para a igualdade de gênero

 

No Rio de Janeiro, a Estação Primeira de Mangueira, parceira da agência, levou para a Sapucaí um samba-enredo em homenagem às mulheres, em linha com a parceria estabelecida entre a Mangueira e a ONU Mulheres no âmbito da campanha Pequim+20. A ação se iniciou no ensaio da Mangueira, realizado na véspera do desfile na Quadra da Mangueira, que contou com a presença de cerca de 500 pessoas. Ventarolas personalizadas da campanha “Neste Carnaval, perca a vergonha, mas não perca o respeito”, com o samba-enredo da Mangueira, foram distribuídas para todos os presentes, que foram apresentados à campanha e também usaram o produto para aprender o samba-enredo “Agora chegou a vez, vou cantar: Mulher brasileira, mulher de mangueira em primeiro lugar”.

 

 

 

BLOCOS CARNAVALESCOS – CARMELISTAS E MULHERES RODADAS

Carnaval 2015/

Foliões do Carmelitas foram abordados com material da campanha

 

As ações da ONU Mulheres também marcaram presença em dois grandes blocos de carnaval do Rio de Janeiro, o Carmelitas (bloco da Associação Sebastiana) e o Mulheres Rodadas. De forma criativa, foram distribuídas as populares “ventarolas”, ilustradas com um fluxograma que orientava a denunciarem experiências de agressão, intimidação ou violência pelo 180, o disque denúncia da Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR). O tradicional bloco Carmelitas recebeu cerca de 15 mil foliões.

 

 

 

 

Carnaval 2015/

Em resposta a conteúdos sexistas nas redes sociais, grupo se mobilizou pelos direitos das mulheres

 

No bloco “Mulheres Rodadas”, que saiu este ano pela primeira vez como uma forma de protesto contra o machismo e recebeu mais de 2 mil foliões, a ação foi endossada pelas líderes do projeto. Durante o bloco, homens, mulheres, crianças e idosos percorreram as ruas do Flamengo defendendo os direitos das mulheres, além de protestar contra todos os tipos de violência e preconceito.

 

 

 

 

 

Carnaval 2015/ Carnaval 2015/

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Em Salvador, no bloco Os Mascarados a campanha integrou-se às iniciativas de prevenção ao HIV/Aids, coordenadas pelo UNAIDS, por meio da exibição do filme “Ter pegada não é faltar com o respeito”. O vídeo foi veiculado no painel de LED do trio elétrico para milhares de foliãs e foliões na quinta-feira de carnaval (12/2).

 

Notícias relacionadas:

 

23.02.2015 - Campanha de combate à violência contra as mulheres conquistou a Marquês de Sapucaí e blocos de rua do Rio de Janeiro durante o Carnaval 2015

14.02.2015 - Parceira da ONU Mulheres, Mangueira homenageia brasileiras, neste domingo (15), na Marquês de Sapucaí

14.02.2015 - No Rio, blocos Carmelitas e Mulheres Rodadas se unem à ONU Mulheres para levar mensagem de respeito para foliãs e foliões

13.02.2015 - Campanha da ONU #naopercaorespeito no carnaval chega a aeroportos, ônibus, metrôs, supermercados e prédios comerciais

10.02.2015 - Nas redes sociais, fluxograma da paquera e postagens incentivam carnaval com respeito aos direitos das mulheres

09.02.2015- Nações Unidas lançam campanha por um carnaval sem violência contra as mulheres e a favor do uso da camisinha

14.02.2015 - Parceira da ONU Mulher27.01.2015 - ONU Mulheres faz palestra sobre Pequim+20 na Prefeitura do Rio

11.10.2014 - ONU Mulheres e Estação Primeira de Mangueira anunciam parceria na quadra da escola

09.10.2014 - ONU Mulheres e Mangueira firmam, neste sábado (11/10), parceria no carnaval sobre a igualdade de gênero