• Português

21.09.2017 - ONU e parceiros lançam iniciativa pela igualdade salarial entre homens e mulheres


Coalizão Internacional pela Igualdade Salarial (EPIC, sigla em ingês para ‘Equal Pay International Coalition’) inclui a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a ONU Mulheres e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE)

 

ONU e parceiros lançam iniciativa pela igualdade salarial entre homens e mulheres /

Mulher fala ao telefone enquanto caminha para o trabalho em Singapura
Foto: OIT/Giorgio Taraschi

Em um esforço para aumentar e igualar o salário das mulheres em relação ao dos homens em todo mundo, foi lançada nesta segunda (18/9) uma aliança global. Duas agências da ONU participam da iniciativa.
A Coalizão Internacional pela Igualdade Salarial (EPIC, sigla em ingês para ‘Equal Pay International Coalition’) inclui a Organização Internacional do Trabalho (OIT), a ONU Mulheres e a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE).

“Cem anos é muito para esperar e devemos trabalhar juntos para que a remuneração igual para o mesmo trabalho seja uma realidade”, disse o diretor-geral da OIT, Guy Ryder, observando que a igualdade salarial está assegurada pela Constituição da OIT de 1919.

A média de ganhos mensais de pessoas do sexo feminino em 2014 estava 17% mais baixa que do sexo masculino, de acordo com a OCDE. Além disso, em muitos países, quanto maior o nível de ganhos e habilidades, maiores as diferenças de remuneração entre homens e mulheres.

Segundo a OIT, o pagamento justo para as mulheres se traduz em benefícios ao longo de suas vidas, bem como de suas famílias. Isso impulsiona as perspectivas de carreira e os ganhos ao longo da vida, além da maior independência e maiores investimentos na educação e saúde de seus filhos.

A diretora-executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, afirmou que “não há justificativa para um salário desigual para mulheres quando seu trabalho tem o mesmo valor que o de homens. Essa injustiça tem sido invisível por muito tempo e juntos mudaremos isso”.

Além de empoderar as mulheres, a igualdade salarial irá impactar outros objetivos-chave, como promover sociedades inclusivas, reduzir a pobreza, criar condições de trabalho decentes e a igualdade de gênero.

De acordo com o comunicado à imprensa, a EPIC “reunirá um conjunto diversificado de atores nos níveis global, regional e nacional para apoiar os governos, empregadores, trabalhadores, organizações e outras partes interessadas, para fazer o mesmo salário entre mulheres e homens por trabalho de igual valor, uma realidade”.

Os objetivos estão vinculados à Agenda 2030 para Desenvolvimento Sustentável, em particular o Objetivo oito, sobre o trabalho decente e o crescimento econômico, e o cinco, sobre igualdade de gênero. A meta é alcançar a igualdade salarial por trabalhos iguais até 2030.