• Português

03.12.2015 - ONU Mulheres Brasil nomeia Juliana Paes como Defensora para a Prevenção e Eliminação da Violência contra as Mulheres


ONU Mulheres Brasil nomeia Juliana Paes como Defensora para a Prevenção e Eliminação da Violência contra as Mulheres/

Artista junta-se aos esforços da campanha global “Tornar o mundo laranja pelo fim da violência contra as mulheres (Orangetheworld)” que se iniciou no Brasil, em 19 de novembro, com a iluminação laranja do Palácio do Planalto e monumentos de Brasília: Supremo Tribunal Federal, Palácio Buriti, Catedral de Brasília, Biblioteca Nacional, Memorial JK e Embaixada da Áustria. Laranja colore prédios icônicos no mundo: Times Square, Niagara Falls (Canadá/EUA), sede do Facebook, edifício da Comissão Europeia (Bélgica), ruínas arqueológicas em Petra (Jordânia), Palácio da Justiça na República Democrática do Congo, entre outros

Assista aqui ao filme da campanha da TV Globo e da ONU Mulheres para os #16Dias

 

A atriz Juliana Paes acaba de adotar uma nova causa para a sua atuação social. Ela foi nomeada como Defensora para a Prevenção e Eliminação da Violência contra as Mulheres da ONU Mulheres Brasil. A artista atuará em favor de campanhas de conscientização pública: #Dia Laranja (#OrangeDay, com ações realizadas no dia 25 de cada mês); O Valente não é Violento, iniciativa vinculada à campanha do Secretário-Geral da ONU “UNA-SE pelo fim da violência contra as mulheres”; e 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

No Brasil, a cada ano, 5 mil mulheres são assassinadas e, pelo menos, 50 mil são violadas sexualmente. Conforme o Mapa da Violência 2015, nos últimos 10 anos, aumentou em 54% o número de assassinatos de mulheres negras. Todos os dias, 13 brasileiras são assassinadas.

“Juliana Paes é uma mulher empoderada, engajada socialmente e está se somando ao trabalho da ONU Mulheres na sensibilização da sociedade brasileira sobre o direito de mulheres e meninas viverem sem violência. Precisamos de vozes poderosas para ampliar o alcance de mentes e corações e evitar que a violência aconteça. A chave é a prevenção. E ela começa com conhecimento, debate e posicionamento em favor dos direitos das mulheres. Estamos confiantes de que Juliana é uma importante aliada”, afirma Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil.

Para a atriz Juliana Paes, a prevenção é o melhor caminho para evitar que a violência se torne uma realidade na vida de mulheres e meninas. “Me sinto lisonjeada com o convite e feliz por poder usar a visibilidade e credibilidade que conquistei para ajudar a levar essa mensagem preventiva de amor e respeito a favor das mulheres”, declara Juliana Paes.

Tornar o #mundolaranja (#orangetheworld) – Um futuro de esperança e sem violência. Com este objetivo, a campanha “Tornar o mundo laranja pelo fim da violência contra as mulheres” (orangetheworld), é uma iniciativa da ONU Mulheres nos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

#16Dias no Brasil – As ações da ONU Mulheres para a campanha mundial #16Dias se iniciaram no Brasil durante a visita da diretora executiva da ONU Mulheres, Phumzile Mlambo-Ngcuka, e da diretora regional da ONU Mulheres para Américas e Caribe, Luiza Carvalho. Empresas, sociedade civil e poder público estão engajadas na campanha. No início de novembro, TV Globo e ONU Mulheres lançaram a campanha nacional com o mote “Toda vez que uma mulher é agredida, a sociedade também é agredida”, convocando a sociedade brasileira para enfrentar a violência e fazer uso do Ligue 180 – Central de Atendimento à Mulher, disponível 24h por dia e todos os dias da semana no Brasil e em outros 16 países.

O Palácio do Planalto, sede do governo brasileiro; e monumentos de Brasília (Supremo Tribunal Federal, Palácio Buriti, Catedral de Brasília, Biblioteca Nacional, Memorial JK e Embaixada da Áustria) acenderam as primeiras luzes laranja da campanha global, unindo-se aos arranhacéus da Times Square, sede global do Facebook, Niagara Falls (Canadá/EUA), edifício da Comissão Europeia (Bélgica), ruínas arqueológicas em Petra (Jordânia), Palácio da Justiça na República Democrática do Congo, entre outros. Mais de 70 países aderiram à campanha “Tornar o mundo laranja pelo fim da violência contra as mulheres” e 450 ações estão acontecendo até 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos, quando se encerrarão os 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência contra as Mulheres.

Dia Laranja – Em julho de 2012, a campanha do Secretário-Geral da ONU “UNA-SE pelo Fim da Violência Contra as Mulheres” proclamou o dia 25 de cada mês como Dia Laranja. Em todo o mundo, agências das Nações Unidas e organizações da sociedade civil utilizam esses dias para dar mais visibilidade às questões que envolvem a prevenção e a eliminação da violência contra mulheres e meninas.

O Valente não é Violento – Vinculada à campanha do Secretário-Geral da ONU, UNA-SE, O Valente não é Violento estimula o debate sobre novas masculinidades e o enfrentamento dos estereótipos de gênero. No Brasil, a campanha produz conhecimento, por meio de conteúdos para estudantes do ensino médio; ações de comunicação contra o trote sexista, racista e homofóbico nas universidades; oficinas sobre masculinidades com caminhoneiros da Caravana Siga Bem e pesquisas com homens sobre masculinidades. Saiba mais em: ovalentenaoeviolento.org.br