• Português

Grupo Nacional Assessor da Sociedade Civil (Brasil): Janeiro/2013 – Dezembro/2014

Conheça os perfis das assessoras da sociedade civil da ONU Mulheres Brasil no período janeiro de 2013 a dezembro de 2014:

 

Aniram Lins Cavalcante: Integrante da Rede de Mulheres de Comunidades Extrativistas do Sul da Bahia, a qual fomenta a liderança das mulheres, estabelecendo medidas efetivas da sua inserção nos processos de direção e gestão das instituições representativas de pescadores e pescadoras na região do sul da Bahia. Foi delegada territorial e estadual na 2ª Conferência do Território Sul da Bahia de Políticas para as Mulheres e delegada nacional pela Bahia na 3ª Conferência Nacional de Políticas para as Mulheres. É doutoranda em Desenvolvimento Regional e Meio Ambiente na Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC).

Benilda Regina Paiva de Brito: Coordenadora de Direitos Humanos do ODARA – Instituto da Mulher Negra e consultora em gênero, raça e orientação sexuais em diversos estados brasileiros. Trabalhou na Prefeitura de Belo Horizonte durante 20 anos, foi coordenadora do Benvinda – Centro de Apoio à Mulher e gerente do Orçamento Participativo da Regional Nordeste e de Educação da Regional Norte. Integrou o Conselho Nacional Contra a Discriminação do Ministério da Justiça e a Comissão Técnica Nacional de Diversidade para Assuntos Relacionados à Educação dos Afro-Brasileiros (Cadara). Atuou como consultora da Organização Internacional do Trabalho (OIT) em Gênero e Raça para implantação da Convenção 111 contra Todas as Formas de Discriminação no Trabalho. Militante histórica do Movimento de Mulheres Negras, desde 1984, coordenou o Programa de Combate a Violência Doméstica e Racial contra a Mulher em Belo Horizonte, o qual participou da divulgação da primeira pesquisa do Brasil sobre o perfil das mulheres em situação de violência de BH. Pedagoga com especialização em Psicopedagogia, Recursos Públicos e Direitos Humanos, foi professora de Direitos Humanos na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG).

Evane Lopes Dias Silva: Presidenta da Associação Quilombola do São Domingos, na cidade de Paracatu (MG) e coordenadora da Região Noroeste da Federação Quilombola de Minas Gerais, trabalha para o desenvolvimento, a garantia de direitos e o fortalecimento das comunidades e da mulher quilombola. É militante da Coordenação Nacional das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq) e está cursando Bacharelado em Direito e Pedagogia.

Jolúzia Batista: Sócia-fundadora e coordenadora do Coletivo Leila Diniz, que atua para o fortalecimento dos movimentos de mulheres e uma maior formação e integração política das mulheres e o enfrentamento da violência. De 2000 a 2012, foi diretora do Cedeca Casa Renascer, especializada na elaboração e acompanhamento de projetos de intervenção com abordagem psicossocial com crianças em situação de risco e violência contra a mulher. Coordenou a iniciativa para o monitoramento do Orçamento Público do Estado do Rio Grande do Norte sob a Perspectiva de Gênero (2008-2011) e foi secretária executiva do III Encontro ECPAT – Brasil (End child prostitution, pornography, trafficking of children for sexual purposes).

Jurema Werneck: Integrante de Criola, organização da sociedade civil conduzida por mulheres negras, que tem como missão instrumentalizar mulheres, adolescentes e meninas negras para ações de combate ao racismo, ao sexismo e à lesbofobia e para a melhoria das condições de vida da população negra. Compõe o Conselho Diretor do Global Fund for Women e o Conselho Curador do Fundo Brasil de Direitos Humanos. Foi secretária executiva da Articulação de Organizações de Mulheres Negras Brasileiras (AMNB), no período 2000-2006. Doutora em Comunicação e Cultura pela UFRJ, é médica de formação.

Marlise Matos: Coordenadora do Núcleo de Estudos e Pesquisas sobre a Mulher – NEPEM e do Centro do Interesse Feminista e de Gênero – CIFG da UFMG e respondeu pela coordenação geral da Rede Brasileira de Estudos e Pesquisas Feministas – RedeFem. Doutora em Sociologia e mestra em Teoria Psicanalítica, tem dedicado sua produção teórica, ensino e extensão para consolidar, aprofundar e difundir os estudos feministas no Brasil e incentivar avanços relacionados às questões dos direitos das mulheres.

Renata Thereza Fagundes Cunha: Consultora da Gerência de Responsabilidade Social do Serviço Social da Indústria (Sesi) Paraná, nas áreas de Sustentabilidade, Pesquisas Sociais, Investimento Social, Diversidade, Equidade de Gênero, Envelhecimento, entre outras. É Consultora da Comissão de Enfrentamento à Violência de Gênero da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Paraná (OAB-PR) e professora de pós-graduação nas áreas de Sociologia, Responsabilidade Social e Sustentabilidade na Faculdade de Ciências e Tecnologia do Paraná (Facet).Foi coordenadora técnica do Programa de Equidade de Gênero e Raça do Sistema da Federação das Indústrias do Estado do Paraná (FIEP) e articuladora da Rede de Organizações Signatárias do Programa Pró-Equidade de Gênero e Raça da Secretaria de Políticas para as Mulheres no estado do Paraná. Desde a década de 1990, quando compôs o Fórum Popular de Mulheres do Paraná, tem se dedicado à luta pelos direitos das mulheres. Mestra em História Social do Trabalho pela Universidade de Campinas (Unicamp), tem formação em Sociologia.

Suzie Guarani: Integrante da Associação Indígena Guateka Marçal de Souza, que reúne os povos Kadiwéu, Guarani, Terena e Kaiowá e luta pelos direitos das populações indígenas. Participou do projeto Cuña (2010-2013), para promover o protagonismo e a incidência política de jovens mulheres indígenas, na fronteira Brasil e Paraguai, sobre a realidade de violações de direitos, especificamente a violação referente ao tráfico de mulheres indígenas. Liderou, ao longo de 2011, a mobilização de 20 mulheres indígenas formadas pelo projeto para convocar o 1º ATY Cuña da história do Brasil: uma assembleia de lideranças indígenas, pela primeira vez, formada só por mulheres. O encontro reuniu 500 indígenas. Em janeiro de 2013, no âmbito do projeto Cuña 2 ocorreu o 2º ATY Cuña, com o apoio de ONU Mulheres.