97 resultado(s) encontrado(s)
Resultado da pesquisa pela Área temática  Comunica����o e advocacy
Resultado da pesquisa pelo ano de  
1 - 10 de 97 Resultado(s)
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 6 MB Quantidade: 197 páginas

Violência política contra as mulheres: roteiro para prevenir, monitorar, punir e erradicar

2021 ONU Mulheres Brasil, PNUD, IDEA Internacional Liderança e participação política

A América Latina tem se destacado globalmente pelo importante papel que as mulheres têm desempenhado em cargos de representação política, principalmente no setor legislativo, onde atualmente detêm 30,9% das cadeiras nas câmaras baixas. Embora estes níveis de representati- vidade não sejam equilibrados nem mesmo em níveis subnacionais, ou nos outros poderes do Estado, especialmente no judiciário, há uma forte tendência para que os países desenvolvam medidas para promover a representação das mulheres nos espaços de tomada de decisão. Leis de cota...Leia mais >>>
A América Latina tem se destacado globalmente pelo importante papel que as mulheres têm desempenhado em cargos de representação política, principalmente no setor legislativo, onde atualmente detêm 30,9% das cadeiras nas câmaras baixas. Embora estes níveis de representati- vidade não sejam equilibrados nem mesmo em níveis subnacionais, ou nos outros poderes do Estado, especialmente no judiciário, há uma forte tendência para que os países desenvolvam medidas para promover a representação das mulheres nos espaços de tomada de decisão. Leis de cotas e leis de paridade têm sido mecanismos essenciais para melhorar o número extremamente baixo de mulheres em espaços de tomada de decisão política, historicamente exibido pela região. Ainda há muito trabalho a ser feito para consolidar o que foi alcançado e avançar em direção a uma maior representação em todos os níveis, assim como para alcançar a justa e necessária paridade que fortalecerá as democracias da região. Ainda estamos muito longe de uma repre- sentação política diversificada que reflita as realidades e identidades de todas as mulheres, incluindo mulheres indígenas, jovens, com deficiências, de diversidade sexual, de afrodescen- dentes e mulheres rurais, entre outras.
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 6 MB Quantidade: 166 páginas

PREVENIR A VIOLÊNCIA CONTRA AS MULHERES DURANTE AS ELEIÇÕES: Um Guia Programático

2021 ONU Mulheres Brasil, PNUD liderança e participação política

A participação política de mulheres e homens em igualdade de condições, e as oportunidades das mulheres para ocupar cargos de liderança em qualquer nível de tomada de decisão, foram reconhecidas mundialmente na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável como contribuições fundamen- tais para que as sociedades sejam mais prósperas e estáveis. Houve progresso: mais do que nunca há mulheres ocupando cargos no governo e envolvidas nos processos eleitorais como funcionárias, eleitoras, candidatas ou nas campanhas eleitorais. As mulheres agora tê...Leia mais >>>
A participação política de mulheres e homens em igualdade de condições, e as oportunidades das mulheres para ocupar cargos de liderança em qualquer nível de tomada de decisão, foram reconhecidas mundialmente na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável como contribuições fundamen- tais para que as sociedades sejam mais prósperas e estáveis. Houve progresso: mais do que nunca há mulheres ocupando cargos no governo e envolvidas nos processos eleitorais como funcionárias, eleitoras, candidatas ou nas campanhas eleitorais. As mulheres agora têm mais representação e voz, e podem colocar em pauta suas preocupações com questões relativas à dimensão física, incluindo os direitos reprodutivos e a segurança física, assim como temas sociais, por exemplo, o cuidado dos filhos e filhas, equiparação salarial, licença maternidade e parental, pensões, e temas que envolvem o desenvolvimento de forma mais ampla, como alívio da pobreza e prestação de serviços.
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 24 MB Quantidade: 48 páginas

Cartilha de Prevenção á Violência contra as Mulheres em Contextos Eleitorais

2021 ONU Mulheres Brasil Liderança e participação política

No Brasil, as mulheres representam mais da metade do eleitorado e participam ativamente de organizações comunitárias, movimentos sociais e organizações da sociedade civil. No entanto, ainda persiste um enorme déficit democrático expresso na sub-representação das mulheres em espaços formais e informais de poder e de decisão. A violência política contra as mulheres é um fenômeno global que, apesar de sempre ter existido, tornou-se um conceito mais conhecido apenas na última década. Sua ocorrência representa uma grave violação dos direitos humanos...Leia mais >>>
No Brasil, as mulheres representam mais da metade do eleitorado e participam ativamente de organizações comunitárias, movimentos sociais e organizações da sociedade civil. No entanto, ainda persiste um enorme déficit democrático expresso na sub-representação das mulheres em espaços formais e informais de poder e de decisão. A violência política contra as mulheres é um fenômeno global que, apesar de sempre ter existido, tornou-se um conceito mais conhecido apenas na última década. Sua ocorrência representa uma grave violação dos direitos humanos das mulheres e tem afetado não apenas suas vítimas diretas, mas suas famílias e comunidades, bem como comprometido a construção e a efetivação de democracias verdadeiramente inclusivas. Diante desse quadro e ancorada nos principais compromissos e diretrizes internacionais sobre participação política e enfrentamento à violência política contra as mulheres, e na visão que reforça a interseccionalidade dos direitos humanos, a ONU Mulheres Brasil busca contribuir para a construção e a promoção de uma democracia paritária no país. A presente Cartilha tem como objetivo principal contribuir para o debate público sobre o fenômeno da violência política contra mulheres nas eleições (VPCME) e baseia-se em tratados e debates realizados no âmbito de mecanismos globais de direitos humanos e organismos internacionais.
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 1 Quantidade: 149 páginas

Dimensões da violência contra Defensoras de Direitos Humanos no Brasil

2021 ONU Mulheres Brasil Defensoras de Direitos Humanos

De acordo com a Relatora Especial da ONU sobre Defensores/as de Direitos Humanos, entre 2015 e 2019 1.323 defensores/as de direitos humanos foram assassinados/as em todo o mundo (Conselho de Direitos Humanos, 2021, §41). Mais de 70% destes casos se concentraram na América Latina e no Caribe, e em 166 deles as vítimas foram mulheres. O Brasil ficou em segundo lugar nesse ranking global, com 174 assassinatos de defensores/as de direitos humanos, atrás apenas da Colômbia, com 379. No país, a atuação de defensoras de direi...Leia mais >>>
De acordo com a Relatora Especial da ONU sobre Defensores/as de Direitos Humanos, entre 2015 e 2019 1.323 defensores/as de direitos humanos foram assassinados/as em todo o mundo (Conselho de Direitos Humanos, 2021, §41). Mais de 70% destes casos se concentraram na América Latina e no Caribe, e em 166 deles as vítimas foram mulheres. O Brasil ficou em segundo lugar nesse ranking global, com 174 assassinatos de defensores/as de direitos humanos, atrás apenas da Colômbia, com 379. No país, a atuação de defensoras de direitos humanos tem, desde sempre, sido confrontada pela violência. As causas estruturais dessa violência remontam não apenas aos interesses conflitantes em relação às mais diversas pautas em que atuam, mas também ao desvio em relação aos papéis e expectativas sociais tradicionalmente reservados às mulheres. Considerando os obstáculos enfrentados por defensoras de direitos humanos, desigualdades e discriminações estruturais, bem como os níveis de violência dirigida contra elas, em outubro de 2019 a ONU Mulheres iniciou a implementação do projeto “Conectando Mulheres, Defendendo Direitos”. Financiada pela União Europeia e alinhada com a Estratégia global da ONU Mulheres sobre Mulheres Defensoras de Direitos Humanos e com as diretrizes da ONU para pôr fim à violência com base em gênero, a iniciativa tem por objetivo que as mulheres, em toda a sua diversidade, defendam os seus direitos livres de violência e de intimidação.
Tipo de Arquivo: Tamanho: Quantidade: 57 páginas

Relatório de Boas Práticas e Lições Aprendidas para a Igualdade de Gênero na Resposta Humanitária ao Fluxo Migratório Venezuela/Brasil (Inglês)

2021 INESC, Núcleo de Mulheres de Roraima (NUMUR) Ação Humanitária

O presente relatório é resultado do processo de avaliação da resposta humanitária á migração venezuelana, especificamente na fronteira entre Brasil e Venezuela, no que tange a igualdade de gênero. Tal processo foi construído em parceria entre o Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) e o Núcleo de Mulheres de Roraima (NUMUR), em projeto apoiado pela ONU Mulheres. Para tal, foi utilizada como principal norteadora a Ferramenta de Avaliação Rápida (RAT, na sigla em inglês),instrumento global da ONU Mulheres de avaliação rápida da igualdade de...Leia mais >>>
O presente relatório é resultado do processo de avaliação da resposta humanitária á migração venezuelana, especificamente na fronteira entre Brasil e Venezuela, no que tange a igualdade de gênero. Tal processo foi construído em parceria entre o Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) e o Núcleo de Mulheres de Roraima (NUMUR), em projeto apoiado pela ONU Mulheres. Para tal, foi utilizada como principal norteadora a Ferramenta de Avaliação Rápida (RAT, na sigla em inglês),instrumento global da ONU Mulheres de avaliação rápida da igualdade de gênero e do empoderamento das mulheres em contextos humanitários. Esta ferramenta se pauta pelo programa global da ONU Mulheres, o LEAP - Liderança, Empoderamento, Acesso e Proteção para mulheres migrantes, solicitantes de refugio e refugiadas implementado no Brasil pela ONU Mulheres em parceria com o Alto Comissariado das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR) e Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), e este instrumento baseia-se em seus três eixos temáticos: Liderança e Participação; Segurança e Bem-estar Econômico. A RAT preconiza que a avaliação da resposta humanitária seja feita por meio de três ferramentas principais: analise de documentos das organizações envolvidas, realização de entrevista seguindo questionário padrão referente aos três eixos e realização de grupos focais com mulheres migrantes atendidas pela resposta humanitárias.
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 586 KB Quantidade: 46 páginas

Business Case - Perspectivas de gênero e inclusão nas empresas: Impactos financeIros e não financeiros

2021 Programa Ganha-Ganha Empoderamento Econômico

Relatório de revisão e sistematização de estudos de caso de negócios, indicadores-chave de desempenho (KPIs) de empresas signatárias de WEPs selecionadas de 6 países ganha-ganha.
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 446 KB Quantidade: 44 páginas

Business Case - Gender perspectives and inclusion in companies: Financial and non-Financial impacts

2021 Programa Ganha-Ganha Empoderamento Econômico

Relatório de revisão e sistematização de estudos de caso de negócios, indicadores-chave de desempenho (KPIs) de empresas signatárias de WEPs selecionadas de 6 países ganha-ganha.
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 4.8 MB Quantidade: 87 páginas

Business Case - Equality Means Good Business (Inglês)

2021 Programa Ganha-Ganha Empoderamento Econômico

Relatório de revisão e sistematização de estudos de caso de negócios, indicadores-chave de desempenho (KPIs) de empresas signatárias de WEPs selecionadas de 6 países ganha-ganha.
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 1.7 MB Quantidade: 50 páginas

Cartilha OS DESAFIOS ENFRENTADOS POR MULHERES QUE SÃO MÃES QUE EMPREENDEM EM PEQUENOS NEGÓCIOS.

2021 Programa Ganha-Ganha Empoderamento Econômico

Cartilha com orientações para as mulheres empreendedoras, com um capítulo dedicado a como as empresas podem apoiar negócios de mães empresárias.
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 4.4 MB Quantidade: 75 páginas

Impacto da pandemia em empreendimentos de mães empreendedoras

2021 Programa Ganha-Ganha Empoderamento Econômico

Apresentação dos resultados de pesquisas (com dados empíricos e secundários) sobre o impacto da Covid-19 em mães empreendedoras no Brasil.