107 resultado(s) encontrado(s)
Resultado da pesquisa pelo ano de  :
81 - 90 de 107 Resultado(s)
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 1.459 KB Quantidade: 36 páginas

Guia de enfrentamento ao racismo institucional

2012 Geledés – Instituto da Mulher Negra Gênero e Raça

"O Guia de Enfrentamento ao Racismo Institucional resulta de um processo de construção coletiva que agrega organizações feministas e antirracistas brasileiras, o Governo Federal e o Sistema das Nações Unidas no país. Pretende contribuir para o enfrentamento do racismo institucional, somando-se aos compromissos e esforços empreendidos pelo setor público e expressos no Plano Plurianual 2012-2015. Seu objetivo é o de oferecer novos elementos para a construção de diagnósticos, planos de ação e indicadores que permitam o enfrentamento do Racismo Ins...Leia mais >>>
"O Guia de Enfrentamento ao Racismo Institucional resulta de um processo de construção coletiva que agrega organizações feministas e antirracistas brasileiras, o Governo Federal e o Sistema das Nações Unidas no país. Pretende contribuir para o enfrentamento do racismo institucional, somando-se aos compromissos e esforços empreendidos pelo setor público e expressos no Plano Plurianual 2012-2015. Seu objetivo é o de oferecer novos elementos para a construção de diagnósticos, planos de ação e indicadores que permitam o enfrentamento do Racismo Institucional e de contribuir para a criação de um ambiente favorável a formulação e implementação de políticas públicas, buscando equalizar o acesso a seus benefícios."
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 2.7 MB Quantidade: 54 páginas

Racismo institucional: uma abordagem conceitual

2012 Geledés – Instituto da Mulher Negra Gênero e Raça

"O texto aqui apresentado visa oferecer novos elementos que ampliem a visão do marco conceitual adequado aos objetivos do Projeto Mais Direitos e Mais Poder para as Mulheres Brasileiras - Componente: Indicadores de Racismo Institucional, que se referem á construir indicadores de racismo institucional que permitam: a. Refletir sobre os resultados da manutenção do racismo no âmbito do Estado, a serem detectados na análise das relações institucionais, dos dados de registros administrativos e demográficos e dos dados referentes a fluxos de trabalho...Leia mais >>>
"O texto aqui apresentado visa oferecer novos elementos que ampliem a visão do marco conceitual adequado aos objetivos do Projeto Mais Direitos e Mais Poder para as Mulheres Brasileiras - Componente: Indicadores de Racismo Institucional, que se referem á construir indicadores de racismo institucional que permitam: a. Refletir sobre os resultados da manutenção do racismo no âmbito do Estado, a serem detectados na análise das relações institucionais, dos dados de registros administrativos e demográficos e dos dados referentes a fluxos de trabalho na execução das políticas públicas; b. Incidir na formulação e monitorar a implementação da políticas públicas nas áreas de Seguridade Social e Trabalho, com especial enfoque para a mulher negra, promovendo o reconhecimento do racismo institucional como violação dos direitos da população negra; c. Revelar desigualdades no atendimento às mulheres brancas e mulheres negras (os dados devem ser desagregados por gênero e por raça); d. Consolidar uma metodologia que possa ser replicada para as demais áreas/setores das políticas públicas."
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 2.6 MB Quantidade: 42 páginas

O Futuro que as Mulheres Querem (2012)

2012 ONU Mulheres Desenvolvimento

"A mudança de paradigma em direção ao desenvolvimento sustentável centrado nas pessoas deve ser construída sobre a premissa dos direitos humanos, da igualdade de gênero e do empoderamento das mulheres. Isto requer uma reorientação do foco para o desenvolvimento centrado nas pessoas, priorize a expansão das capacidades e a redução de todos os tipos de desigualdades e promova os direitos e a ação de mulheres e homens. E uma mudança para um mundo onde os seres humanos e não a maximização do lucro são colocados no centro da ação e da tomada de deci...Leia mais >>>
"A mudança de paradigma em direção ao desenvolvimento sustentável centrado nas pessoas deve ser construída sobre a premissa dos direitos humanos, da igualdade de gênero e do empoderamento das mulheres. Isto requer uma reorientação do foco para o desenvolvimento centrado nas pessoas, priorize a expansão das capacidades e a redução de todos os tipos de desigualdades e promova os direitos e a ação de mulheres e homens. E uma mudança para um mundo onde os seres humanos e não a maximização do lucro são colocados no centro da ação e da tomada de decisão, no qual mulheres e homens assumem suas responsabilidades em relação ao consumo, produção e manejo sustentáveis dos recursos naturais e respeitam os limites dos recursos do planeta."
Tipo de Arquivo: PDF 5.1 MB Tamanho: Quantidade: 252 páginas

Orçamentos sensíveis a gênero: Experiências

2012 ONU Mulheres Brasil Governança

"Nas últimas décadas, a maioria dos países latino-americanos assumiu um crescente compromisso com a igualdade de gênero. Foram assinados tratados internacionais em defesa e promoção dos direitos humanos das mulheres, e, no âmbito nacional, os países têm introduzido mudanças nas leis civis e penais, aprovado sistemas de cotas de representação política, nos níveis local e nacional, e institucionalizar e fortalecer mecanismos de defesa dos direitos das mulheres. Entretanto, esses compromissos e avanços legais não têm sido respaldados, posteriormen...Leia mais >>>
"Nas últimas décadas, a maioria dos países latino-americanos assumiu um crescente compromisso com a igualdade de gênero. Foram assinados tratados internacionais em defesa e promoção dos direitos humanos das mulheres, e, no âmbito nacional, os países têm introduzido mudanças nas leis civis e penais, aprovado sistemas de cotas de representação política, nos níveis local e nacional, e institucionalizar e fortalecer mecanismos de defesa dos direitos das mulheres. Entretanto, esses compromissos e avanços legais não têm sido respaldados, posteriormente, por recursos orçamentários que permitam concretizar as ações em programas e políticas públicas com objetivos claros de redução das lacunas de desigualdade e cumprimento dos direitos das mulheres. Nesse contexto, a Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres - ONU Mulheres (antes UNIFEM), por meio do programa Orçamentos Sensíveis a Gênero, vem apoiando iniciativas de orçamentos com perspectiva de gênero em diferentes países do mundo, como uma ferramenta poderosa e inovadora."
Tipo de Arquivo: PDF 6.8 MB Tamanho: Quantidade: 330 páginas

Orçamentos sensíveis a gênero: Conceitos

2012 ONU Mulheres Brasil Governança

"Nas últimas décadas, a maioria dos países latino-americanos assumiu um crescente compromisso com a igualdade de gênero. Foram assinados tratados internacionais em defesa e promoção dos direitos humanos das mulheres, e, no âmbito nacional, os países têm introduzido mudanças nas leis civis e penais, aprovado sistemas de cotas de representação política, nos níveis local e nacional, e institucionalizar e fortalecer mecanismos de defesa dos direitos das mulheres. Entretanto, esses compromissos e avanços legais não têm sido respaldados, posteriormen...Leia mais >>>
"Nas últimas décadas, a maioria dos países latino-americanos assumiu um crescente compromisso com a igualdade de gênero. Foram assinados tratados internacionais em defesa e promoção dos direitos humanos das mulheres, e, no âmbito nacional, os países têm introduzido mudanças nas leis civis e penais, aprovado sistemas de cotas de representação política, nos níveis local e nacional, e institucionalizar e fortalecer mecanismos de defesa dos direitos das mulheres. Entretanto, esses compromissos e avanços legais não têm sido respaldados, posteriormente, por recursos orçamentários que permitam concretizar as ações em programas e políticas públicas com objetivos claros de redução das lacunas de desigualdade e cumprimento dos direitos das mulheres. Nesse contexto, a Entidade das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres - ONU Mulheres, antes UNIFEM ?, por meio do programa Orçamento Sensíveis a Gênero, vem apoiando iniciativas de orçamentos com perspectiva de gênero em diferentes países do mundo, como uma ferramenta poderosa e inovadora. "
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 830 KB Quantidade: 27 páginas

Impactos de bem-estar de mudanças no mercado de serviços domésticos brasileiro

2012 Centro Internacional de Políticas para o Crescimento Inclusivo Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (IPC-IG) Empoderamento Econômico

"O trabalho doméstico compreende uma série de atividades, como: limpeza; arrumação; cozinha; cuidados com o vestuário; cuidados com crianças, idosos, pessoas com deficiência, animais; entre outras. Embora podendo desempenhar atividades distintas, duas características são comuns a esses trabalhadores: o trabalho é remunerado e realizado em domicílio que não o do próprio trabalhador (OIT, 2011a; OIT, 2011b). Por essas e outras características socioeconômicas, o grupo de trabalhadores domésticos remunerados possui uma série de peculiaridades, entr...Leia mais >>>
"O trabalho doméstico compreende uma série de atividades, como: limpeza; arrumação; cozinha; cuidados com o vestuário; cuidados com crianças, idosos, pessoas com deficiência, animais; entre outras. Embora podendo desempenhar atividades distintas, duas características são comuns a esses trabalhadores: o trabalho é remunerado e realizado em domicílio que não o do próprio trabalhador (OIT, 2011a; OIT, 2011b). Por essas e outras características socioeconômicas, o grupo de trabalhadores domésticos remunerados possui uma série de peculiaridades, entre as quais se destacam: i) predominam trabalhadoras do sexo feminino; ii) são pagos baixos salários; iii) o empregador é uma pessoa física; iv) a legislação não acompanha a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), sendo ate? mesmo colocada como exceção os direitos trabalhistas pela própria Constituição Federal (CF); e v) há alto índice de informalidade (OIT, 2011c; IBGE, 2012a)."
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 9.9 MB Quantidade: 40 páginas

Retrato das Desigualdades de Gênero e Raça 4a edição

2011 Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada Ipea, ONU Mulheres, Secretaria de Políticas para as Mulheres SPM, Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial SEPPIR Gênero e Raça

"Um país que conhece a sua população tem mais chances de investir melhor seus recursos para enfrentar desigualdades e questões sociais. E nesse sentido que a ONU Mulheres, por meio do Programa Regional de Incorporação das Dimensões da Igualdade de Gênero, Raça e Etnia em Programas de Combate á Pobreza em Quatro Países da América Latina: Bolívia, Brasil, Guatemala e Paraguai, tem fomentado e apoiado projetos para produção e divulgação de dados estatísticos desagregados por sexo, raça/cor e etnia. O Retrato das Desigualdades, que é um desses proj...Leia mais >>>
"Um país que conhece a sua população tem mais chances de investir melhor seus recursos para enfrentar desigualdades e questões sociais. E nesse sentido que a ONU Mulheres, por meio do Programa Regional de Incorporação das Dimensões da Igualdade de Gênero, Raça e Etnia em Programas de Combate á Pobreza em Quatro Países da América Latina: Bolívia, Brasil, Guatemala e Paraguai, tem fomentado e apoiado projetos para produção e divulgação de dados estatísticos desagregados por sexo, raça/cor e etnia. O Retrato das Desigualdades, que é um desses projetos, consolidou-se como instrumento de referência para a compreensão das desigualdades de gênero e raça no Brasil. Em sua quarta edição, a publicação fornece ao público dados estatísticos, que compreendem o período de 1995 a 2009, sobre os mais diferentes temas. O objetivo é que os números aqui disponibilizados possam ser lidos por gestoras e gestores públicos, pesquisadores e pesquisadoras, e especialistas, enquanto subsídio para análises, bem como para a formulação de políticas públicas mais equitativas e focalizadas."
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 6.3 MB Quantidade: 12 páginas

Ano Internacional de Afrodescendentes

2011 ONU Brasil, AMNB Gênero e Raça

Ao eleger 2011 como o Ano Internacional das e dos Afrodescendentes, dez anos após a III Conferência Mundial de Combate ao Racismo, á Discriminação Racial, á Xenofobia e a Intolerâncias Correlatas, ocorrida em Durban, a Assembleia Geral das Nações Unidas reafirma o seu compromisso com a superação do racismo, da descriminação e das desigualdades raciais em escala mundial.

Tipo de Arquivo: PDF 9.8 MB Tamanho: Quantidade: 434 páginas

O Progresso das Mulheres no Brasil 2003–2010

2011 Cepia – Cidadania, Estudo, Pesquisa, informação e ação, ONU Mulheres Brasil Desenvolvimento

"A Cepia, com o apoio da ONU Mulheres, reedita, amplia e atualiza o livro O Progresso das Mulheres no Brasil, analisando a situação da mulher no período 2003-2010 nas áreas do trabalho, da política, dos direitos civis e políticos, da violência, da educação, da saúde e direitos sexuais e reprodutivos, no ambiente rural e urbano. Analisa também a diversidade étnico-racial e traça percursos da ação de advocacy dos direitos humanos das mulheres. Com a contribuição de renomados especialistas, esta publicação apresenta os avanços ocorridos e os desaf...Leia mais >>>
"A Cepia, com o apoio da ONU Mulheres, reedita, amplia e atualiza o livro O Progresso das Mulheres no Brasil, analisando a situação da mulher no período 2003-2010 nas áreas do trabalho, da política, dos direitos civis e políticos, da violência, da educação, da saúde e direitos sexuais e reprodutivos, no ambiente rural e urbano. Analisa também a diversidade étnico-racial e traça percursos da ação de advocacy dos direitos humanos das mulheres. Com a contribuição de renomados especialistas, esta publicação apresenta os avanços ocorridos e os desafios para as próximas décadas. A Cepia e a ONU Mulheres esperam que essa publicação representa um instrumento de conhecimento e de atuação política na promoção do Progresso das Mulheres Brasileiras."
Tipo de Arquivo: PDF 1.030 KB Tamanho: Quantidade: 63 páginas

Guia para jornalistas sobre GÊNERO, RAÇA E ETNIA

2011 FENAJ - Federação Nacional dos Jornalistas, ONU Mulheres Brasil Gênero e Raça, Comunicação e advocacy

"Esta publicação é uma ferramenta do plano pedagógico do curso de formação de jornalistas na temática de gênero, raça e etnia. Tem o propósito de auxiliar jornalistas (que desempenham as funções de produção, reportagem, redação, edição e direção de redação) e estudantes de Jornalismo na tarefa de cobrir os temas com recorte de gênero, raça e etnia no dia a dia da imprensa. Historicamente, a mídia recusa a adoção de uma perspectiva de gênero em seus conteúdos e reforça os estereótipos de gênero, raça e etnia, limitando a veiculação da opinião da...Leia mais >>>
"Esta publicação é uma ferramenta do plano pedagógico do curso de formação de jornalistas na temática de gênero, raça e etnia. Tem o propósito de auxiliar jornalistas (que desempenham as funções de produção, reportagem, redação, edição e direção de redação) e estudantes de Jornalismo na tarefa de cobrir os temas com recorte de gênero, raça e etnia no dia a dia da imprensa. Historicamente, a mídia recusa a adoção de uma perspectiva de gênero em seus conteúdos e reforça os estereótipos de gênero, raça e etnia, limitando a veiculação da opinião das mulheres em geral e invisibilizando a participação das mulheres negras e indígenas em todas as esferas da sociedade."