105 resultado(s) encontrado(s)
Resultado da pesquisa pelo ano de  :
31 - 40 de 105 Resultado(s)
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 1.634 KB Quantidade: 21 páginas

Cartilha – Casa da Mulher Brasileira

2021 ONU Mulheres Brasil, ACNUR, UNFPA Ação Humanitária

Uma criação conjunta de ACNUR, ONU Mulheres e UNFPA a partir do programa LEAP - Liderança, Empoderamento, Acesso e Proteção para mulheres migrantes, solicitantes de refúgio e refugiadas no Brasil, em parceria com a Fraternidade - Federação Humanitária Internacional.

Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 1.097 KB Quantidade: 22 páginas

Cartilha – Assédio sexual no mercado de trabalho

2021 ONU Mulheres Brasil, ACNUR, UNFPA Ação Humanitária

Uma criação conjunta da ONU Mulheres, ACNUR, e UNFPA a partir do programa LEAP - Liderança, Empoderamento, Acesso e Proteção para mulheres migrantes, solicitantes de refúgio e refugiadas no Brasil.

Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 16.2 MB Quantidade: 56 páginas

"Encuesta regional de desalojos de las personas refugiadas y migrantes de Venezuela Análisis de los principales impactos y necesidades (Espanhol)"

2021 Response for Venezuelans (R4V) Ação Humanitária

"Esta pesquisa foi desenvolvida em 7 países da região das Américas (Peru, Equador, Brasil, Colômbia, Panamá, República Dominicana e Guiana); foi apoiada por 21 organizações do Setor de Proteção Regional e 5 universidades da Rede de Clínicas Jurídicas da Colômbia (Projeto implementado pela Corporação Jurídica com o apoio do ACNUR). O desenvolvimento do instrumento de pesquisa, assim como a análise dos resultados, foi um processo coordenado com o Relator sobre os Direitos dos Migrantes da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH)."

Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 667 KB Quantidade: 2 páginas

Liderança, empoderamento, acesso e proteção (LEAP) para mulheres e meninas migrantes, solicitantes de refúgio e refugiadas no Brasil (Inglês)

2021 ONU Mulheres Ação Humanitária

"Em 2019, com contribuição do Programa Conjunto LEAP, a resposta nacional ao fluxo migratório venezuelano tornou-se mais inclusiva quanto ao gênero e mais responsiva às necessidades diferenciadas de mulheres e meninas, homens e meninos. A Plataforma de Coordenação para Refugiados e Migrantes da Venezuela (R4V) tem apoiado a experiência dos recortes sobre gênero para analisar, aconselhar e coordenar esforços que promovam a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres na resposta humanitária. Durante o período do relatório, 8.367 mulheres m...Leia mais >>>
"Em 2019, com contribuição do Programa Conjunto LEAP, a resposta nacional ao fluxo migratório venezuelano tornou-se mais inclusiva quanto ao gênero e mais responsiva às necessidades diferenciadas de mulheres e meninas, homens e meninos. A Plataforma de Coordenação para Refugiados e Migrantes da Venezuela (R4V) tem apoiado a experiência dos recortes sobre gênero para analisar, aconselhar e coordenar esforços que promovam a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres na resposta humanitária. Durante o período do relatório, 8.367 mulheres migrantes e refugiadas venezuelanas receberam acesso a mecanismos de proteção e apoio, incluindo gestão de casos de violência baseada em gênero (VBG) e outras violações de direitos humanos, e vias de encaminhamento para serviços governamentais e não governamentais. O programa também facilitou fluxos a iniciativas de empoderamento econômico para 1.706 mulheres, e 1.351 mulheres aumentaram suas capacidades e receberam oportunidades de se envolver com atores humanitários e do poder público para moldar sua resposta humanitária através de avaliação, planejamento e implementação de iniciativas e estratégias. "
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 1.890 KB Quantidade: 11 páginas

Eleições 2020 - Newsletter 2

2021 ONU Mulheres Brasil Liderança e participação política

"O documento apresenta um balanço das eleições municipais de 2020, focando nos resultados da participação das mulheres, em especial dos grupos com maior sub-representação política: mulheres negras, quilombolas, indígenas e trans. O material também traz uma análise comparativa entre as candidaturas de militares e pessoas com títulos religiosos e os resultados das eleições para esses dois grupos. Esta Newsletter é lançada em seguimento à realização da 65ª sessão da Comissão sobre a Situação da Mulher, que ocorreu entre 15 e 26 de março de 2021 e ...Leia mais >>>
"O documento apresenta um balanço das eleições municipais de 2020, focando nos resultados da participação das mulheres, em especial dos grupos com maior sub-representação política: mulheres negras, quilombolas, indígenas e trans. O material também traz uma análise comparativa entre as candidaturas de militares e pessoas com títulos religiosos e os resultados das eleições para esses dois grupos. Esta Newsletter é lançada em seguimento à realização da 65ª sessão da Comissão sobre a Situação da Mulher, que ocorreu entre 15 e 26 de março de 2021 e teve como tema “Mulheres na vida pública: Participação Igualitária em espaços de decisões”. Na ocasião, estados-membro das Nações Unidas reconheceram a persistência de inúmeros obstáculos à participação política das mulheres e reiteraram a necessidade de medidas para sua eliminação"
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 1.840 KB Quantidade: 18 páginas

Eleições 2020 - Newsletter 1

2021 ONU Mulheres Brasil Liderança e participação política

"A ONU Mulheres Brasil, em parceria com a União Europeia, lançou em outubro a campanha #ViolênciaNão – Pelos Direitos Políticos das Mulheres, uma mobilização nacional de prevenção à violência política contra as mulheres em contextos eleitorais. Centrada em ações nas redes sociais e no diálogo com tomadoras e tomadores de decisão, a campanha chama atenção para o fato de que a violência política constitui uma das principais barreiras que impede as mulheres de usufruírem de seus direitos humanos e destaca ainda obstáculos adicionais referentes às ...Leia mais >>>
"A ONU Mulheres Brasil, em parceria com a União Europeia, lançou em outubro a campanha #ViolênciaNão – Pelos Direitos Políticos das Mulheres, uma mobilização nacional de prevenção à violência política contra as mulheres em contextos eleitorais. Centrada em ações nas redes sociais e no diálogo com tomadoras e tomadores de decisão, a campanha chama atenção para o fato de que a violência política constitui uma das principais barreiras que impede as mulheres de usufruírem de seus direitos humanos e destaca ainda obstáculos adicionais referentes às discriminações cruzadas experimentadas por mulheres negras, indígenas, jovens, mulheres com deficiência e de outros grupos. Somando-se à campanha, esta newsletter apresenta dados e informações relevantes sobre a participação das mulheres nas eleições municipais de 2020 no Brasil. A primeira parte divulga dados relacionados ao perfil das candidaturas e alguns resultados parciais do primeiro turno, apontando as principais tendências relacionadas às candidaturas de mulheres. Na sequência, aborda o tema da violência política contra as mulheres e divulga eventos e iniciativas de parcerias relevantes acerca do tema."
Tipo de Arquivo: 606 Kb Tamanho: Quantidade: 24, PDF páginas

Vulnerabilidades das Trabalhadoras Domésticas no Contexto da Pandemia de COVID-19 no Brasil

2020 ONU Mulheres Brasil Empoderamento Econômico

Em 30 de janeiro de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que o surto da doença causada pelo novo coronavírus – a Covid-19 – constituía uma emergência de saúde pública de importância internacional. Em 11 de março de 2020, considerando a rápida disseminação geográfica do coronavírus, o surto foi caracterizado pela OMS como uma pandemia. De acordo com a organização, essa classificação não está relacionada à gravidade da doença, mas, sim, à presença do vírus em escala mundial. O termo é utilizado quando uma epidemia – grande surto qu...Leia mais >>>
Em 30 de janeiro de 2020, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que o surto da doença causada pelo novo coronavírus – a Covid-19 – constituía uma emergência de saúde pública de importância internacional. Em 11 de março de 2020, considerando a rápida disseminação geográfica do coronavírus, o surto foi caracterizado pela OMS como uma pandemia. De acordo com a organização, essa classificação não está relacionada à gravidade da doença, mas, sim, à presença do vírus em escala mundial. O termo é utilizado quando uma epidemia – grande surto que afeta uma região – se espalha por diferentes continentes, com transmissão sustentada de pessoa para pessoa. Segundo a OMS, em 22 de maio de 2020, haviam sido registrados quase 5 milhões de casos confirmados de infecção e 328 mil mortes em todo o mundo. No Brasil, o primeiro caso foi oficialmente reconhecido em 25 de fevereiro, na cidade de São Paulo – de um homem que havia recém-regressado da Itália, então foco da pandemia na Europa. A primeira morte, contudo, aconteceu em 17 de março, na zona sul de São Paulo, um homem que trabalhava como porteiro, no bairro Paraíso. No Rio de Janeiro, a primeira morte por Covid-19 registrada foi de uma trabalhadora doméstica que trabalhava em uma residência no bairro Leblon e contraiu a doença de sua empregadora, que também havia recém-regressado de viagem à Itália.
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 219 KB Quantidade: 3 páginas

Fluxo de Encaminhamentos Durante a Pandemia de COVID-19

2020 ONU Mulheres Brasil, Luxembourg Aid & Development, UNICEF, ACNUR, UNFPA Ação Humanitária

"Você é informado ou identifica um incidente de VIOLÊNCIA de gênero com adultos, adolescentes ou crianças. O QUE DEVE FAZER? Os caminhos a serem percorridos vão depender do tipo de violência sofrida (física, psicológica, sexual, moral, patrimonial), porém é importante em primeiro lugar MANTER A SEGURANÇA DA SOBREVIVENTE."

Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 3.5 MB Quantidade: 252 páginas

"RMRP 2021 FOR REFUGEES AND MIGRANTS FROM VENEZUELA: Regional Refugee and Migrant Response Plan January - December 2021 (Inglês)"

2020 Response for Venezuelans (R4V) Ação Humanitária

Medidas prolongadas, mas necessárias, de bloqueio e restrições de mobilidade tiveram um impacto prejudicial na capacidade dos refugiados, refugiadas e migrantes de manter a subsistência e o acesso a bens e serviços básicos, com muitos refugiados, refugiadas e migrantes da Venezuela tendo sofrido perda de renda e, ao mesmo tempo, não tendo sido incluídos e incluídas sistematicamente em redes de segurança social que foram estabelecidas para as populações locais. Sua situação terrível levou alguns refugiados, refugiadas e migrantes a considerar o ...Leia mais >>>
Medidas prolongadas, mas necessárias, de bloqueio e restrições de mobilidade tiveram um impacto prejudicial na capacidade dos refugiados, refugiadas e migrantes de manter a subsistência e o acesso a bens e serviços básicos, com muitos refugiados, refugiadas e migrantes da Venezuela tendo sofrido perda de renda e, ao mesmo tempo, não tendo sido incluídos e incluídas sistematicamente em redes de segurança social que foram estabelecidas para as populações locais. Sua situação terrível levou alguns refugiados, refugiadas e migrantes a considerar o retorno à Venezuela, muitas vezes através de canais irregulares, levantando preocupações adicionais de proteção e saúde. Entretanto, ao mesmo tempo, dinâmicas pré-existentes como movimentos pendulares e um número crescente de reentradas nos países vizinhos foram registradas no último trimestre de 2020.
Tipo de Arquivo: PDF Tamanho: 13.8 MB Quantidade: 28 páginas

RMRP 2021 - CAPIÍTULO BRASIL PARA REFUGIADOS E MIGRANTES DA VENEZUELA: Plano de Resposta para Refugiados e Migrantes Janeiro – Dezembro 2021

2020 Response for Venezuelans (R4V) Ação Humanitária

Antes do fechamento das fronteiras devido à pandemia da COVID-19, o Brasil estava passando por um período de intensa chegada de refugiados e migrantes da Venezuela, que entravam no território principalmente pelo estado de Roraima, localizado na região Norte, um dos estados mais isolados do país e que já enfrentava dificuldades econômicas. Até agosto de 2020, 148.782 Venezuelanos haviam recebido autorizações de residência temporária e o país acolhia 102.504 solicitantes de reconhecimento da condição de refugiado e 46.141 refugiados reconhecidos....Leia mais >>>
Antes do fechamento das fronteiras devido à pandemia da COVID-19, o Brasil estava passando por um período de intensa chegada de refugiados e migrantes da Venezuela, que entravam no território principalmente pelo estado de Roraima, localizado na região Norte, um dos estados mais isolados do país e que já enfrentava dificuldades econômicas. Até agosto de 2020, 148.782 Venezuelanos haviam recebido autorizações de residência temporária e o país acolhia 102.504 solicitantes de reconhecimento da condição de refugiado e 46.141 refugiados reconhecidos. As restrições de entrada por terra e mar para estrangeiros estão em vigor desde 19 de março e têm sido periodicamente renovadas por meio de portarias que afirmam explicitamente que não serão concedidas exceções aos nacionais da Venezuela, independentemente de seu status ou de laços familiares no Brasil. O fechamento da fronteira tem impactado o acesso aos processos de solicitação de reconhecimento da condição de refugiado e regularização no Brasil, inclusive impedindo refugiados e migrantes de se reunirem com familiares que ficaram na Venezuela.